Made in ChinaApenas algumas décadas atrás a China tinha escassez de quase todos os bens de consumos duráveis e não duráveis. Hoje tudo isto mudou. Como a fabricante do mundo, a China hoje possui um excesso de ofertas de produtos e o atividade de comprar se tornou o passatempo predileto da nova classe médio do paísem crescimento. Ansiosos em recuperar o tempo perdido, milhões de consumidores têm aderido com entusiasmo ao resto do mundo na interminável esteira de consumo global.

Por onde você olhar encontrará as brilhantes lojas de departamentos e uma porção de novos shoppings inaugurados recentemente, boutiques de alto padrão e os movimentados mercados noturnos.

Friendship Store - BeijingFriendship Stores

As chamadas Friendship Stores (ou lojas da amizade) são pequenas lojas estatais originalmente criadas para vendas à turistas estrangeiros, diplomatas e funcionários do governo. Agora abertas ao público, elas levam o certificado de “qualidade para exportações”, mas com certeza não possuem os melhores preços em relação a outros locais na cidade. Lembre-se são lojas para turistas.

Mas para os bons compradores podem valer a pena passar por elas para tomada dos preços de vários produtos, antes de começar a negociar com os outros locais. Como os preços são fixados é também uma boa opção para quem não gosta de pechinchar (e perder vários outros bons negócios).

Lojas de Departamentos

Algumas grandes lojas de departamentos são estatais mas hoje a maioria é composta por lojas menores de propriedade privada. Nas cidades maiores e mais desenvolvidas, como Xangai, Pequim e Guangzhou – há um número crescente de shoppings de luxo. Por exemplo, o Plaza Oriental em Pequim é um shopping novo, brilhante e com uma grande variedade de bens.

Mas não espere encontrar oportunidades de barganhas na Gucci por exemplo. Você verá que os bens de consumo importados são tão mais caros quanto os de seu país (devido as altas tarifas e impostos agregados ao preços finais). O mercado alvo nestes locais é o novo rico que possui um apetite insaciável por marcas de luxo (especialmente europeus).

Supermercados e Drogarias

Carrefour Chinês

Caso necessite comprar artigos de higiene pessoal, remédios ou algum produto de necessidade diária e esteja confuso com a imensa quantidade de supermercados e drogarias espalhadas pelas cidades, você poderá ir a um Carrefour ou Wal-Mart. Como aqui eles possuem uma grande variedade de produtos que vão desde fraldas, roupas à eletrônicos.

O que comprar na China?

Roupas: embora difícil de dizer se verdadeiras ou falsas, as roupas de marca são consideravelmente mais baratas e com uma qualidade aceitável em alguns locais. Uma exceção: evite qualquer tipo de artigos vestuário a base de teflon (tais como casacos, calçados ou mochilas), além de ser muito fáceis para copiá-los ou roubar seus rótulos para diminuir o custo e a qualidade oferecida.

Arte: pinturas, caligrafias ou esculturas – para grandes colecionadores de artes claro – você precisará conhecer bem o material; agora se tratando de itens decorativos para a sua casa ou presentes há um monte de coisas legais (não se esqueça, pechinche o quanto puder).

Sedas, tecidos bordados

Centro de Compras em Hong Kong

Artigos de Cerâmica

Joalherias Étnicas

CDs ou DVDs piratas: geralmente em torno de US$1,00. Como aqui, teste com um leitor de DVD no local. Ou compre um para testar antes de comprar grandes quantidades. Apenas cuidado com a quantidade quando for declarar na alfândega.

Souvenires e pequenas lembranças da China: tais como o de Mao Tse Tung ou da Revolução Cultural (Pequeno Livro Vermelho e Isqueiros).

Selos de Pedras com seu nome gravado: usado na China como prova de sua assinatura.

Réplicas de antiguidades

Antiguidades: procure por lojas especializadas ou mercado de antiguidades. Para retirada de antiguidades reais com mais de 100 anos, você vai precisar de um certificado de exportação       com um lacre de cera oficial do vendedor (caso contrário podem ser retidas sem direito a indenizações). Antiguidades datadas de antes de 1795 não podem ser retiradas do país em nenhuma hipótese.

Artesanatos: entre os mais comuns, estatuetas de argila, recortes de figuras decorativas, pipas, garrafas de rapé com desenhos dentro (encontram-se vários da dinastia Qing), produtos em ossos (bovinos ou de camelos) transformados em garfos, facas, colheres, pulseiras e colares.